Acompanhe nossos conteúdos

Vigilantes: funções e responsabilidades

alt="VIGILANTES"

Os vigilantes desempenham um papel significativo em nossas sociedades. Eles são o escudo invisível que protege pessoas, propriedades e materiais em empresas, instituições e eventos. Eles podem trabalhar tanto em empresas públicas quanto privadas em todo o território nacional, desde que possuam a Carteira Nacional de Vigilante (CNV). Este artigo visa elucidar o papel, as funções e as principais responsabilidades de um vigilante, dando uma visão detalhada da importância dessa profissão em nosso dia a dia.

Principais características de um vigilante: 

Responsabilidade

A responsabilidade de um vigilante é grande, pois ele é encarregado de proteger vidas e patrimônios. Além disso, o vigilante precisa ter disciplina e seguir rigorosamente as normas e rotinas estabelecidas, trabalhando sempre em sintonia com sua equipe. A falha em cumprir essas responsabilidades pode resultar em consequências sérias, tornando a responsabilidade uma característica essencial para esses profissionais.

Discrição

A discrição é outra característica fundamental de um vigilante. Ele tem acesso a informações sensíveis sobre pessoas e instituições e é de suma importância que essas informações não sejam compartilhadas, seja durante o período de trabalho ou em momentos de folga. Exceto quando houver uma autorização expressa e registrada, o vigilante deve manter sigilo absoluto.

Profissionalismo

O profissionalismo é uma característica que se espera de todo e qualquer profissional, mas para os vigilantes, isso se torna ainda mais relevante. Eles lidam diretamente com pessoas e, portanto, precisam transmitir uma imagem de comprometimento, responsabilidade e seriedade. Além disso, precisam saber se comunicar de maneira eficaz, manter o porte correto e o uniforme e a apresentação pessoal sempre impecáveis.

Atenção

A atenção é uma característica indispensável para um vigilante. Ele deve estar sempre atento ao seu trabalho durante todo o expediente. Uma boa memória também é importante, pois ele pode precisar lembrar de rostos, recados, placas e modelos de veículos. A falta de atenção pode resultar em falhas de segurança, o que reforça a importância desta característica.

Perspicácia

A perspicácia é a capacidade de observar, entender e reagir rapidamente a situações. Um vigilante precisa ser perspicaz, pois pode se deparar com situações que exigem respostas imediatas. A perspicácia permite que o vigilante evite problemas desnecessários e tome as medidas certas na hora certa.

Em geral, um vigilante tem uma responsabilidade significativa: garantir a integridade física, seja de pessoas ou de materiais, em empresas, instituições e eventos. Este profissional pode trabalhar em empresas públicas ou privadas em todo o território nacional, desde que possua a Carteira Nacional de Vigilante (CNV), obrigatória para o exercício da função.

Não se deve confundir um vigilante com um vigia, pois este último não possui treinamento ou CNV. O vigilante deve ter treinamento especializado para atuar eficientemente em diferentes tipos de clientes e segmentos. Neste artigo, explicamos o papel e as principais responsabilidades de um vigilante.

A profissão de vigilante é regulamentada pela lei 7.102, que estabelece critérios e a forma de execução do cargo, incluindo a formação e atualização de seus profissionais. A segurança também deve ser regulamentada pela Polícia Federal, esclarecendo os direitos e deveres da categoria.

alt="VIGILANTES"
VIGILANTES GRUPO UNIFORT

O que um vigia faz? Funções e Responsabilidades

Os vigilantes desempenham um papel significativo em nossas sociedades. Eles são o escudo invisível que protege pessoas, propriedades e materiais em empresas, instituições e eventos. Eles podem trabalhar tanto em empresas públicas quanto privadas em todo o território nacional, desde que possuam a Carteira Nacional de Vigilante (CNV). Este artigo visa elucidar o papel, as funções e as principais responsabilidades de um vigilante, dando uma visão detalhada da importância dessa profissão em nosso dia a dia.

Atividades em que atuam os vigilantes

As funções de um vigilante são diversas e variam dependendo do ambiente em que trabalham. No entanto, em geral, sua principal tarefa é garantir a segurança física de pessoas e bens. Isso pode incluir monitoramento de segurança, patrulhamento de propriedades, prevenção de crimes e resposta a emergências.

Um aspecto crucial do trabalho de um vigilante é o monitoramento de segurança. Eles são responsáveis por manter um olho vigilante sobre as propriedades e pessoas que estão sob sua proteção, garantindo que nada suspeito ou perigoso ocorra. Além disso, um vigilante também pode ser responsável por relatar atividades suspeitas ou ilegais à polícia ou a outros órgãos relevantes.

Vigilância Patrimonial

A vigilância patrimonial é uma das áreas mais comuns em que os vigilantes atuam. Eles protegem os mais diversos tipos de ambientes, seja residencial ou corporativo, podendo atuar de forma armada, desarmada ou até mesmo com a ajuda de cães adestrados para essa finalidade. O papel deles é garantir a segurança e a integridade das propriedades e das pessoas que nelas residem ou trabalham.

Vigilância Móvel

A vigilância móvel é uma atividade que envolve a presença física do vigilante e visitas aleatórias às instalações que estão sob sua responsabilidade. O objetivo é verificar o perfeito funcionamento das instalações e detectar possíveis incidências. Esta modalidade de vigilância é capaz de proporcionar um nível elevado de segurança, pois permite uma resposta rápida a qualquer situação suspeita ou perigosa.

Escolta Armada

A escolta armada é uma atividade especializada que envolve a proteção de cargas e mercadorias durante seu transporte. Os vigilantes que atuam nessa área não transportam a carga diretamente, mas a escoltam de perto para garantir sua segurança. Esta atividade é comumente utilizada para o transporte de mercadorias valiosas ou sensíveis, como medicamentos, peças de computador e tecnologia em geral.

Segurança Pessoal Privada

A segurança pessoal privada é uma atividade voltada para a proteção física de indivíduos específicos. Políticos, executivos, celebridades e artistas em geral são alguns dos tipos de pessoas que costumam utilizar este serviço. Os vigilantes que atuam nessa área são altamente treinados e capacitados para lidar com uma variedade de situações, garantindo a segurança física da pessoa que estão protegendo.

Você pode gostar de ler: Curso de Vigilante: Tudo o que você precisa saber sobre a Profissão

Diferenças entre Vigilante e Vigia

Muitas vezes, a profissão de vigilante é confundida com a de vigia. Contudo, é importante esclarecer que um vigilante e um vigia não são a mesma coisa. O vigia não possui treinamento especializado ou a Carteira Nacional de Vigilante (CNV). Eles são frequentemente responsáveis pela segurança em ambientes menos críticos e não estão equipados para lidar com situações de alto risco.

Por outro lado, um vigilante é um profissional treinado para atuar eficientemente em diferentes tipos de clientes e segmentos. Eles são preparados para lidar com uma variedade de situações, desde o monitoramento de segurança até a resposta rápida a emergências.

Regulamentação da Profissão

A profissão de vigilante é regulamentada pela lei 7.102, que estabelece critérios e a forma de execução do cargo, incluindo a formação e atualização de seus profissionais. Esta lei garante que os vigilantes recebam treinamento adequado e atualizado, permitindo-lhes desempenhar suas funções da melhor maneira possível.

De acordo com a Portaria nº 3.233/2012  em seu artigo 155, menciona que :

Para o exercício da profissão, o vigilante deverá preencher os seguintes requisitos profissionais, comprovados documentalmente:

I – ser brasileiro, nato ou naturalizado;

Il- ter idade mínima de 21 (vinte e um) anos;

III – ter instrução correspondente à quarta série do ensino fundamental;

IV – ter sido aprovado em curso de formação de vigilante, realizado por empresa de curso de formação devidamente autorizada;

V – ter sido aprovado em exames de saúde e de aptidão psicológica;

VI – ter idoneidade comprovada mediante a apresentação de certidões negativas de antecedentes criminais, sem registros de indiciamento em inquérito policial, de estar sendo processado criminalmente ou ter sido condenado em processo criminal de onde reside, bem como o local em que realizado o curso de formação, reciclagem ou extensão: da Justiça Federal; da Justiça Estadual ou do Distrito Federal; da Justiça Militar Federal; da Justiça Militar Estadual ou do Distrito Federal e Justiça Eleitoral;

VII – estar quite com as obrigações eleitorais e militares;

VIII – possuir registro no Cadastro de Pessoas Físicas.

§ 1º Os exames de saúde física e mental e de aptidão psicológica serão renovados por ocasião da reciclagem do vigilante, às expensas do empregador.

§ 2° O exame psicológico será aplicado por profissionais previamente cadastrados no DPF, conforme normatização específica.

Além disso, a segurança também é regulamentada pela Polícia Federal, que esclarece os direitos e deveres da categoria de vigilantes. Isso garante que todos os vigilantes cumpram os padrões profissionais adequados e desempenhem suas funções de maneira eficaz.

Conclusão

A profissão de vigilante é vital para a manutenção da segurança e ordem em nossa sociedade. Eles são profissionais treinados que se dedicam a proteger pessoas e propriedades. O trabalho que eles fazem muitas vezes passa despercebido, mas sem eles, nossa sociedade seria um lugar menos seguro. Através da compreensão das funções e responsabilidades de um vigilante, podemos apreciar melhor a importância desse papel e o valor que esses profissionais trazem para nossas comunidades.

Gostou desse conteúdo, compartilhe!

Receba as últimas postagens!

Nos mantemos nossos conhecimentos em constantes atualizações para levar até vocês as melhores e mais relevantes informações e notícias sobre o mundo da segurança pessoal, empresarial e tecnológica.

Veja nossos últimos conteúdos